Ideias para aulas diferenciadas

Tendo em vista a dificuldade do professor encontrar tempo para planejar, listaremos aqui algumas ideias de aulas criativas que motivam ao aluno a participar da aula.

Paisagem - 
 A evolução do transporte de trilho e o processo de mudança na paisagem ao longo do tempo.
Cleidiane Vitória, Aline do Prado, Jamile Barroso e Lorena


Público Alvo: 3º ano de uma escola municipal de Salvador/BA
Duração: 5 aulas
Objetivo geral: Interpretar os prós e contras das transformações no transporte ferroviário e os impactos das paisagens antrópicas.

Objetivo especifico:
·         Conhecer a evolução histórica do transporte ferroviários de Salvador
·         Comparar o processo de mudança da paisagem a partir dos usos e finalidades do transporte ferroviário de cada época.
·         Explicar sua percepção sobre as mudanças na paisagem do seu tempo a partir da ação humana.
·        Relacionar as mudanças físicas nas paisagens com as atividades econômicas exercida pela população local.

Procedimentos/Metodologia:

Aula 1: Nesta atividade o professor realizará uma linha do tempo interativa juntamente com os alunos. A atividade consiste na apresentação de fotos que apresentam o transporte ferroviário em Salvador, haverá duas cópias de cada foto, uma delas para os alunos criarem a linha do tempo coletiva e a segunda para ser utilizada pelo professor para apresentar a linha do tempo real.

·         1º momento: O professor irá dispor fotos sobre a mesa que apresentem a evolução do transporte ferroviário em Salvador.
·         2º momento: Os alunos montarão uma linha do tempo coletiva no quadro com as fotos dispostas sobre a mesa como acreditam ser a sequência real.
·         3º momento: O professor utilizará a cópia das fotos para expor a evolução histórica dos transportes em Salvador, apresentando uma a uma e comparando a linha do tempo criada pelos alunos com a real e montando a linha do tempo real.

Aula 2: Nesta atividade será feita uma pesquisa com os pais de como eram a paisagem e as mudanças/impactos que perceberam com a implantação do metrô e se possui alguma fonte histórica.

·         1º momento: O professor mostrará uma pesquisa cientifica sobre os impactos do metrô na Paralela; apresentando como o estudioso chegou a aquela conclusão.
·         2º momento: O professor organizará juntamente com o aluno o passo a passo de como será realizada a pesquisa. A pesquisa consistirá em um questionário previamente preparado pela turma com a ajuda do professor.
·         3º momento: Será feita uma reunião para definir quantos dias serão necessários para a realização da pesquisa e como será sistematizada.

Aula 3: Os alunos farão uma exposição oral da pesquisa. Após as apresentações o professor fará uma síntese, conectando os aspectos expostos pelos alunos.

·         1º Momento: Apresentação individual de 5 minutos para cada aluno.
·         2º Momento: O professor sintetizará as apresentações, conectando os aspectos apresentados pelos alunos, resultando de um texto e um gráfico único para a sala.

Aula 4: Leitura e discussão de uma matéria do Correio sobre lagoas aterradas na Paralela.

·         1º Momento: O professor lerá a matéria para a sala, incentivando a discussão sobre o assunto.
·         2º Momento: A turma será dividida em dois grupos, um a favor das mudanças na paisagem em prol do desenvolvimento e outro contra. Os alunos serão orientados como construir argumentos para um debate.
·         3º Momento: O professor disponibilizará materiais para os alunos poderem construir seu argumento de sua forma.

Aula 5: O debate

O debate será utilizado como avaliação deste conteúdo. A professora iniciará o debate apresentando a paisagem antes e depois do Metrô.
Os critérios utilizados para avalição do conteúdo serão:

·         Objetividade no argumento.
·         Conexão com os assuntos apresentados pela professora.
·         Capacidade de perceber a passagem histórica nas paisagens.
·         Completude no argumento associado ao entendimento do conteúdo.
Clima e Tempo - Sertão e Litoral Baiano
Cleidiane Vitória, Aline do Prado, Jamile Barroso e Lorena


Conteúdo:
A diferença entre o tempo no sertão e no litoral baiano. 
Público Alvo: 4º ano
Duração: 3 aulas
Objetivo geral:  Perceber que as características físicas do lugar afetam no tempo e na vida cotidiana.

Objetivo especifico:
·         Diferenciar características do tempo no sertão (quente e seco) e no litoral (quente e úmido).
·         Explicar que as características climáticas de onde vivemos influencia em nosso modo de vida.

Aula 1: Nesta aula o professor desenvolverá uma atividade sensorial com os alunos, utilizando um ventilador com água gelada e um secador para demonstrar o tempo quente e úmido e o quente e seco. Para tal atividade, o professor irá vendar os alunos e expô-los a sensação.
·         1º Momento: O professor apresentará imagens (vista superior e vista frontal) do sertão e do litoral baiano, bem como da vida cotidiana de seus moradores. Para que os alunos possam comparar as diferenças entre eles.
·         2º Momento: O professor realizará a atividade sensorial apresentada na descrição da aula.

Aula 2: Nesta aula o professor desenvolverá uma atividade prática sobre a escassez de água no sertão baiano e o racionamento no litoral.

·         1º Momento: O professor trará um balde com água suficiente para encher uma determinada quantidade de copos descartáveis, que estarão previamente marcadas com os nomes de atividades diárias (lavar roupa, banho, beber água...), irá preencher todos os copos, explicando a importância da melhor utilização da água pela população do litoral. É importante, não restar água no balde, para ficar evidente que não há a possibilidade de utilizar desnecessariamente o nosso recurso hídrico.
·         2º Momento: O professor trará dois baldes com quantidade insuficiente de água (a água do primeiro momento será repartida para dois baldes) para preencher a mesma quantidade de copos existentes no primeiro momento. A turma será dividida em duas equipes que terão que preencher os copos da melhor maneira possível. Ao término os alunos irão expor de maneira oral todo o processo e dificuldades existentes para preencher todos os copos, comparando com a vida real.

Aula 3: Avaliação - Os alunos responderão um questionário sobre o tempo no sertão e no litoral. O questionário consistirá nas diferenças do tempo e da vida cotidiana nessas regiões.

Alfabetização Cartográfica
Cleidiane Vitória, Aline do Prado, Jamile Barroso e Lorena


Conteúdo:
·         Conhecendo a escola
·         Espaço geográfico da escola no mapa
·        Os espaços da escola e suas localizações
Público Alvo: 1º ano
Metodologia:


Primeiro momento: roda de conversa sobre o que mais gosta na escola. Pensar o que tem na escola, como são as salas, a cantina, onde ficam localizados os espaços da escola.

Segundo momento: caça ao tesouro, mapa previamente feito pela professora que indicará o lugar do tesouro, os alunos deverão olhar o mapa e encontrar o tesouro dentro do espaço escolar..


Terceiro momento: elaborar um mapa croqui geográfico da escola, a partir das atividades realizadas e o que eles veem.
Quarto momento: socializar a importância do mapa para localizar o tesouro.


Historia Continuada (trabalho em equipe)
Cleidiane Vitoria e Gabriela Chagas












Objetivo:  Produzir contos; interagir em grupo respeitando o tempo e a opinião do outro; (Re)produzir histórias com expressão oral e corporal.
Recursos: Um conto, de preferência desconhecido pelos alunos.  

1.    Dividir a turma em grupos de 5 alunos; os grupos deverão ser organizados em ordem numérica ou alfabética( Ex.: grupo 1,2,3,4...ou grupo A,B,C,D) para facilitar o entendimento da atividade.
2.    Escrever o conto na lousa; servirá de norte para o grupo 1/A.
3.    Contar um pedaço da história modulando a voz e expressando a ação do personagem com o corpo. (A historia deverá parar em um momento que instigue a curiosidade do outro)
4.     O grupo 1/A continuará a historia de onde o professor parou, o grupo 2/B de onde o grupo 1/A parou, e assim sucessivamente.
5.    Acabando as apresentações, contar a historia original para fazer uma comparação com a história inventada pela turma.

Obs.: esse trabalho terá melhores resultados se o professor tiver trabalhado o gênero textual “conto” durante a unidade. É importante que o aluno conheça o conceito de conto e de inicio, meio e fim.
Obs.¹: É interessante que durante a contação de história o professor registre as partes na lousa, para que a turma junto com o professor tenha uma visão panorâmica do texto.

Sugestão: ao final da criação, pode-se fazer uma encenação da história.
segue abaixo arquivo com plano de aula que pode anteceder a esta.
aulas de contos em docx(Gabriela Chagas e Cleidiane Vitoria)


_________________________________________________________________________

Educação Financeira para alunos do Ensino Fundamental I

Por: Dielson Costa
Tarefa realizada em uma turma de 5º ano 













Materiais necessários:
  • Dinheiro fictício
  • Cronograma de tarefas
  • Lista de controle dos valores
O professor deve iniciar a brincadeira distribuindo valores iguais para todos os alunos. Em seguida, deve apresentar a lista de tarefas que irão ocorrer ao longo das aulas, o período utilizado e a quantidade de tarefas (que deve ser estabelecido pelo próprio professor), sempre analisando quanto tempo será necessário para transmitir a mensagem.

O professor pode estabelecer um tarefa a ser cumprida na semana como confeccionar e vender uma cadeira, por exemplo, para tal ele sorteia quem naquela tarefa será o produtor do objeto, os que irão adquirir e os fornecedores. Os alunos devem negociar preços entre si, o fornecedor que tiver o melhor preço irá vender a matéria prima para o produtor e o produtor com o preço mais em conta terá seu produto adquirido pelos clientes. Todos os alunos podem solicitar um empréstimo ao banco (que deve ser o professor), os empréstimos devem ter limite de valores e os pagamentos fixados pelo professor, este pode cobrar juros e estabelecer data de pagamento.
O professor pode criar tarefas semanais para os alunos que podem ser imaginativas ou reais, como por exemplo, uma feira na escola...Realizamos esta tarefa estabelecendo uma missão de realizar uma salada de frutas e os alunos deveriam comprar estes produtos na feira feita na sala. Outra ideia interessante foi a de realizar uma planilha com gastos mensais de uma residência, os alunos deveriam realizar os pagamentos mensais e buscar diminuir os gastos.

Semanalmente, o professor deve interagir com os alunos revendo os valores gastos e que possuem, incentivando, ajudando na administração e principalmente dando e recebendo impressões de aprendizado.

Esta tarefa, foi muito produtiva e os alunos e pais ficaram encantados. Olha uma frase de uma das mães sobre a tarefa:

"Meu filho tem menos de 10 anos e já quer me ajudar na administração financeira, perguntei onde ele tinha ganhado este interesse e ele me disse que foi com o professor e com esta tarefa de educação financeira, obrigado professor."

Sugiro a utilização desta tarefa!

_________________________________________________________________________


Júri Simulado
Para aplicação a alunos de Ensino Fundamental II

Por: Dielson Costa
Atividade realizada com uma turma de 9º ano

















Objetivo: 
  • Estudar e debater um tema, levando todos os participantes a se envolverem e se posicionarem. 
  • Exercitar o senso crítico, a expressividade, raciocínio, retórica e capacidade de contra opinar.
  • Trabalhar o conteúdo proposto para o Júri.

Na atividade realizada, utilizamos como temática "O aborto", tendo em vista que na disciplina de Filosofia, tratávamos da Atualidade, saúde e limites da ciência. Entretanto, você pode aplicar esta atividade a temática que desejar. Semanas antes da realização do júri é importante dividir a temática e a ideia com a turma, dividindo os papéis que cada um irá realizar, afim de que as pesquisas, discursos e argumentos sejam preparados, além de dar tempo para os advogados e suas testemunhas prepararem a defesa.

Integrantes:

·         Juiz – Sugiro que o professor exerça este papel, afim de mediar a atividade.
·         Advogado de Acusação – Um aluno que seja o responsável por formular a acusação contra o Réu (temática debatida) e questionar as testemunhas.
·         Advogado de Defesa – Um aluno que seja responsável em defender o Réu (temática, causa abordada), responder as questões levantadas pelo advogado de acusação e interrogar as testemunhas.
·         Testemunhas – Sugiro a utilização de duas ou três testemunhas de defesa e a mesma quantidade para as de acusação, a quantidade depende do tempo que o professor tenha disponível para realizar a atividade.
·         Corpo de Jurados – Grupo de alunos (número ímpar) que irá ouvir todo julgamento sem se posicionar, anotando os principais pontos e opiniões, este grupo será o responsável em decidir o veredicto juntamente com o juiz.
·         Público – Número indefinido de pessoas, na atividade que realizei com o 9º, compôs este grupo todas as pessoas que não estavam envolvidas como os integrantes anteriormente citados.

Obs: Os advogados e o público podem pedir o direito de fala em qualquer momento, que pode ser negado ou aprovado pelo juiz.

Etapas:

·         1ª etapa - Inicio (organização)
o   Neste momento o juiz irá explicar todas as etapas e caso necessário estabelecer o tempo para cada uma delas.
·         2ª etapa - Discurso do advogado de acusação:
o   O advogado de acusação irá discursar a respeito das acusações que ele considera que pesa sobre o réu, que é a causa ou tema que está sendo acusado.
·         3ª etapa – Contra argumentação do advogado de defesa:
o   O advogado de defesa deve contra argumentar o discurso e as acusações realizadas pelo advogado de acusação, esclarecendo pontos de vista e destacando pontos “positivos” do réu/causa.
·         4ª etapa – Réplica da acusação
·         5ª etapa – Testemunha (s) de acusação:
o   Neste período a testemunha de acusação responderá as perguntas dos advogados; primeiro o de acusação e posteriormente o de defesa, a quantidade de perguntas deve ser estipulada pelo juiz. O público pode pedir a palavra para questionar os advogados e/ou testemunhas, o direito de fala deve ser aprovado/rejeitado pelo juiz.
·         6ª etapa – Testemunha (s) de defesa:
o   Neste período a testemunha de defesa responderá as perguntas dos advogados; primeiro o de defesa e posteriormente o de acusação, a quantidade de perguntas deve ser estipulada pelo juiz. O público pode pedir a palavra para questionar os advogados e/ou testemunhas, o direito de fala deve ser aprovado/rejeitado pelo juiz.
·         7ª etapa – Jurados decidem a sentença:
o   Neste momento, os jurados e o juiz retiram-se da seção, é importante que o juiz estabeleça um intervalo para os integrantes, enquanto a decisão é tomada. Através do voto dos jurados e com base na opinião que eles tiveram do andamento do processo (é importante, que a decisão seja isenta de opiniões pessoais e seja baseada no andamento do julgamento e desempenho da defesa e da acusação), caso algum jurado se abstenha e por isso seja provocado um empate, o voto final é dado pelo juiz.
·         8ª etapa – Leitura da sentença:
o   O juiz irá comentar todo o julgamento, apresentando os pontos positivos e negativos, o aprendizado que foi conquistado com a atividade (é importante ouvir alguns alunos neste momento) e em seguida informará o veredicto.

Dica: A quantidade de etapas pode ser aumentada, dando a oportunidade de mais uma fala para os advogados, por exemplo. Ressalto, que é de suma importância o juiz abrir o espaço para que o público também participe, afim de que todos possam sentir-se integrados na atividade.


Espero ter ajudado!

_________________________________________________________________________


Jogo da Revisão
Por: Dielson Costa
Atividade realizada com uma turma de 6º ano














Objetivo: 
  • Revisar conteúdo já aplicado.
Na atividade realizada, podemos utilizar qualquer assunto abordado na Unidade, o objetivo neste caso é revisar o conteúdo. O professor tem três opções: pode dividir a sala em grupos, realizar esta tarefa individualmente ou utilizar toda a sala como se fosse "um único jogador". No caso, exemplificado (com a turma de 6º ano), realizei a atividade com a última das opções, para este caso é importante que antes de iniciar a tarefa, o professor integre toda a turma, afim de que todos estejam empolgados e participando.

O professor realiza perguntas gradativas, de uma mais simples até a mais complexa. É interessante se utilizar de recursos como slides ou a lousa (quadro). As perguntas devem ser realizadas "premiando" na seguinte sequência:

1 mil - Primeira pergunta
2 mil - Segunda pergunta
5 mil - Terceira pergunta
10 mil - Quarta pergunta
20 mil - Quinta pergunta
50 mil - Sexta pergunta
100 mil - Sétima pergunta
200 mil - Oitava pergunta
500 mil - Nona pergunta
1 Milhão - Décima pergunta

O professor pode premiar a turma em cada uma das etapas, substituindo o termo "mil e milhão" pelos prêmios, pode premiar também caso alcancem a última pergunta ou até pode não premiar. No exercício desta atividade com a turma de 6º ano, o prêmio era imaginário (o 1 milhão de reais) e tivemos uma adesão unânime, além do resultado ser bastante comemorado entre todos os alunos; cabe, ao professor tornar a atividade bastante agradável para os discentes.

Espero ter ajudado.

_________________________________________________________________________


O salão da Liberdade!?Por: Dielson CostaAtividade realizada com uma turma de 8º ano











Objetivo: 

  • Desenvolver a discussão da temática: Liberdade
  • Possibilitar aos discentes o pensar e repensar a respeito do que é a liberdade
Material necessário:
  • Figurino citado
  • Vídeos
  • Professores ou outros alunos voluntários (1 para o algoz, 1 para ser o escravo, 2 para acionar os vídeos e 1 para a recepção final).
  • Um ou dois projetores ou aparelhos de televisão (ao lado de cada um dos dois aparelhos deve haver um voluntário para acionar o vídeo)
  • Papel ou correntes para a decoração
  • Baús ou caixas de madeira
O aluno é recepcionado por um professor, vestido de algoz (normalmente uma roupa toda preta com capuz), ou pode ser um figurino semelhante, o professor recita o poema abaixo:
"Aqui termina sua liberdade,
Não és mais senhor de sua vida,
Aqui não há idade,
Aqui termina sua lida."
(Trecho de poema cujo o autor é desconhecido)
Toda a sala deve estar decorada com correntes, o chão deve conter material que relembre um navio negreiro, sugiro colocar pó semelhante a serragem e/ou palha, é interessante colocar caixas de madeira ou baús nos cantos da sala.
O professor direciona os alunos para o primeiro vídeo (projetor ou tv 1), onde é apresentada cenas do período de escravidão. Eles são surpreendidos com um "escravo" sentado no canto da sala que recita um trecho do poema Navio Negreiro de Castro Alves, ele deve estar caracterizado (sugiro calça branca até um pouco abaixo do joelho e camisa branca, se permitido sem a camisa):
"Ontem plena liberdade,
A vontade por poder...
Hoje... cúm'lo de maldade,
Nem são livres p'ra morrer. .
Prende-os a mesma corrente
— Férrea, lúgubre serpente —
Nas roscas da escravidão.
E assim zombando da morte,
Dança a lúgubre coorte
Ao som do açoute... Irrisão!... "

Assim, que ele termina de recitar eles são surpreendidos com o som de uma marcha do exército e um vídeo que mostra (projetor ou Tv2), soldados asiáticos onde fica clara a homogeneidade entre seus movimentos e comportamento.

Assim, que este vídeo termina um outro inicia do outro lado (projetor ou Tv1) apresentando várias cenas decorrentes de caos, pela ausência da polícia e do poder público.

Sem parar um próximo vídeo é iniciado (projetor ou Tv2) onde é apresentada várias crianças sendo ensinadas de madeira bastante padronizada (sugiro vídeos da educação asiática).

Por fim, o algoz recita o poema de Carlos Drummond de Andrade (acréscimos do autor), a seguir e os conduz para a saída da sala:

"O pássaro é livre
na prisão do ar.
O espírito é livre
na prisão do corpo.
Não há liberdade,
Ou há liberdade?
A sua liberdade julgará!"

Na parte exterior da sala o último professor, além de administrar a quantidade de alunos por vez que ingressam na sala, ele também deve orientar que a visita será discutida em aula posterior.
Sugiro que imediatamente, após esta aula-apresentação o assunto seja discutido e que seja aberta a possibilidade da participação de todos e a liberdade seja um assunto discutido e o conhecimento a respeito construído pelos alunos, ora criticando ou concordando com os vídeos e poemas apresentados.






 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Comentários

  1. Amei! Se fosse professora, ia querer dar aulas diferentes assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tic's pedagógicos13 de maio de 2017 21:23

      Obrigado. Continue acompanhando o nosso blog!

      Excluir

Postar um comentário

licença de direitos autorais

spider.Ad

Adsense